Arquivos

Categorias
Todas as mensagens
 Link
 Evento

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




PIBID UEG/2012
 




Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 00h24
[] [envie esta mensagem
] []





PLANILHA DE ACOMPANHAMENTO DO PIBID PELO TUTOR PEDAGÒGICO

PLANILHA DE ACOMPANHAMENTO DO PIBID PELO TUTOR PEDAGÒGICO

05 DE JUNHO DE 2013

Nome do projeto:

. Programa Institucional de bolsa de iniciação à docência

. Educação Física – Inclusão

Unidade Educacional:

COLÉGIO ESTADUAL OLGA PARREIRA (A partir de 2013 passou para  E.E.T.I. Olga Parreira)

Subsecretaria:

. Quirinópolis-GO

Bolsista do projeto: Amanda Cunha, Cristina Aparecida, Jheyse Alves, Lays Maria,Liliane Alcântara, Silas Izarias.

Professor orientador:

Eliane Maria Dutra Muniz

Supervisor do projeto:,

. Mauro Felicio Barbosa Mulati

Tutor da Unidade Educacional:

. Marta Florinda de Almeida Felício Marçon

Data de inicio e de término do projeto:

. 28/01/2013  a  31/12/2013

Como está sendo a atuação do supervisor?

. O supervisor faz o acompanhamento do projeto, revisando os planos, assistindo as aulas, orientando os bolsista quanto a postura, dialogando com os mesmos sobre condutas educacionais, sempre visando o  desempenho escolar dos alunos e também a execução das atividades do Projeto Pibid na unidade escolar.

Os objetivos do programa estão sendo alcançados?

Sim, Todos os objetivos estão sendo alcançados, incluindo ainda, várias atividades que não estão no projeto Pibid, mas estão no calendário do colégio e que são “abraçadas” também pelo Pibid.

Quais atividades são desenvolvidas pelos Bolsistas?

. As atividades desenvolvidas pelos bolsistas são:

 . Aulas de Educação Física voltada para inclusão dos ditos “normais”, no  mundo dos portadores de necessidades especiais. Auxilio nos projetos  da escola e envolvimento das comemorações, vivenciando todo cotidiano escolar.

Qual a forma de atuação do coordenador com o bolsista?

. O coordenador está sempre presente, observando o trabalho dos bolsistas. Realiza uma reunião semanal com os mesmos na UEG e a cada quinze dias na unidade escolar, para planejar as atividades, preocupando-se sempre com os materiais a serem utilizados no projeto. Está sempre em contato com a coordenadora do projeto no colégio, discutindo sobre o desempenho dos bolsistas no mesmo, sugerindo ações que possam engrandecer o projeto mais ainda.

 

Há atividades dos bolsistas com os alunos da escola?

.  Sim, todas as atividades são realizadas com os alunos da escola.

Que ações do projeto foram realizadas neste mês?

. Execução dos planos de aula do Pibid (inclusão), utilizando equipamentos de malabares (cilindros, círculos de papelão etc....). Foi iniciado também o Futsal para cegos com bola com guiso e venda nos olhos.

. Participação nas oficinas do JEEP ( Sebrae), auxiliando os professores durante a execução do projeto.

. Auxílio nas aulas de Letramento, Matemática, Artes e Esporte da Jornada Ampliada. 

. Participação na confecção dos cartões do dia das mães na Jornada Ampliada.

Que benefício trouxe à Unidade Educacional e em que turmas estão sendo realizado?

. O Pibid, faz muita diferença em uma escola, uma vez que os bolsistas estão no colégio, não para estagiar, mas sim como parceiros vivenciando de perto o ambiente escolar num todo, ajudando também nos projetos da escola para melhorar a aprendizagem, auxiliando na disciplina. Enfim, vivendo plenamente o que é ser professor.

 

 

Em que turmas está sendo realizado?

. Está sendo realizado do 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental.

OBSERVAÇÃO:

Este mês houve uma reunião no Colégio Olga Parreira, com o Coordenador do Pibid Profº Mauro Mulati, Diretora Lucimara, Tutora Marta Florinda e Coordenadora Pedagógica da Jornada Ampliada Eliane Muniz. Nesta reunião, além dos assuntos relacionados aos bolsistas e atividades do Pibid, também ficou agendado uma palestra para o mês de agosto, no dia do Trabalho Coletivo, onde serão convidadas todas as escolas de Tempo Integral.

A palestra será ministrada pela Profª Drª Zilda de Carvalho Mendonça na qual será abordado o tema Indisciplina na escola.

 
 

 

 

 



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 00h14
[] [envie esta mensagem
] []





I Encontro do PIBID UEG - Pirenópolis 2013



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 23h49
[] [envie esta mensagem
] []





I Encontro do PIBID UEG - Pirenópolis 2013



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 23h42
[] [envie esta mensagem
] []





Inscrições abertas para o I Encontro do PIBID

A Coordenação Institucional do PIBID/UEG comunica que estão abertas as inscrições para o I Encontro do PIBID. As inscrições poderão ser feitas até o dia 22 de maio, na página do PIBID no link: www.pibid.ueg.br.  O encontro acontecerá nos dias 6 e 7 de junho de 2013 em Pirenópolis. Todos os coordenado...



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 20h05
[] [envie esta mensagem
] []





  

I ENCONTRO PIBID-UEG – DIAS 6 E 7 DE JUNHO DE 2013 – PIRENÓPOLIS-GO

1 – Apresentação:

I ENCONTRO PIBID UEG: formação inicial e valorização dos profissionais da educação básica.  

O programa PIBID 2012/UEG completará em agosto de 2013, o seu primeiro ano de implementação. Durante este período, professores e alunos desenvolvem 40 subprojetos, em nove áreas: Biologia (4), Educação Física (2), Física (1) Geografia (5), História (7), Letras (11), Matemática (7), Pedagogia (3) e Química (1), abrangendo os campi de Anápolis, Iporá, Itapuranga, Morrinhos, Goiânia, Quirinópolis, Goiás, Pires do Rio, Jussara, Formosa, Inhumas, São Luís de Montes Belos, São Miguel do Araguaia, Campos Belos, Santa Helena de Goiás. O programa envolve a concessão de 252 bolsas de Iniciação à Docência, 42 bolsas de supervisão e 42 bolsas de coordenador de área. 

O I Encontro do PIBID/UEG tem como objetivo a troca de experiências entre os coordenadores, bolsistas e supervisores dos vários subprojetos, por meio da apresentação dos resultados das atividades realizadas nas UnUs e nas escolas. O encontro visa ampliar a discussão sobre a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de graduação, a relação com a educação básica e os desafios de continuidade do Programa como uma política pública de formação de professores. 

 

Saiba Mais:

 

Normas de comunicação

normascomunicacao-1.pdf

Normas relato de experiência

normas_relato_de_experiencia_.pdf

Programação encontro do PIBID

programacaoEncontroPIBID_UEG.pdf

Normas pôster

normasposter.pdf



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 21h09
[] [envie esta mensagem
] []





Pibid – Programa institucional de bolsa e iniciação à docência E.E.T.I. OLGA PARREIRA

SEMANA DO ÍNDIO, COMEMORAÇÕES REALIZADAS PELOS PIBIDIANOS UEG QUIRINÓPOLIS



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 10h28
[] [envie esta mensagem
] []





Semana do Indio

 

Universidade Estadual de Goiás-Quirinópolis - GO

Educação Física

 

Pibid – Programa institucional de bolsa e iniciação à docência

 

E.E.T.I. OLGA PARREIRA

 

 

 

19 DE ABRIL - DIA DO ÍNDIO

 

 

 

Projeto elaborado pelos Acadêmicos (bolsistas do Pibid), Amanda Darle de Freitas Pazanin, Cristina Aparecida Pereira Gonçalves, Jheysse Alves, Layz Maria Perez, Liliane Cristina Alcântara e Silas Izarias, atendendo as exigências do Coordenador Mauro Mulati, Supervisora Eliane Maria Dutra Muniz, visando o conhecimento e a comemoração do dia do índio na E.E.T.I. Olga Parreira.

 

 

 

 

Quirinópolis, 17 de abril de 2013.

DIA DO ÍNDIO

19 de Abril– 2013

 

Colégio Estadual Olga Parreira

Quirinópolis-Goiás

 

Introdução

Em 1943, o presidente Getúlio Vargas criou através do decreto lei número 5.540, esta data comemorativa. Em 1940 foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano e contou com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América e líderes indígenas deste continente foram convidados para participarem das reuniões e decisões.
            Os índios não compareceram nos primeiros dias do evento por preocupação ou medo; comportamento que era compreensível, pois há séculos eram perseguidos e agredidos pelo “homem branco”, com exceção de alguns líderes que resolveram participar. Esta participação ocorreu no dia 19 de abril, que ficou conhecida, no continente americano, como o Dia do Índio.               Os povos indígenas possuem uma variedade de jogos tradicionais com uma diversidade imensurável. Para Huizinga (2004), o jogo apresenta características únicas, sendo elas: O divertimento, atividade voluntária, praticadas em momento de tempo livre tornando obrigação apenas quando constitui uma função cultural reconhecida como: o ritual, satisfação da própria realização, e segue uma ordem estabelecida pelas próprias leis que o compõe.         

Alguns destes rituais são bastante falados na literatura atual: Lutas Corporais, Futebol de Cabeça, Arco e Flecha, Peteca, Corridas e Corrida de Toras. Segundo (ALMEIDA, 2008).  Os Jogos tem o objetivo de promoverem a cidadania indígena, a integração e o intercâmbio de valores tradicionais, com vistas a incentivar e valorizar as manifestações culturais próprias destes povos.
                   Os Jogos dos Povos Indígenas tem como lema: “O importante não é competir, e sim celebrar”. Assim, percebe-se, portanto, a possibilidade desse evento cultural contribuir para o desenvolvimento de um processo de esportivização de práticas corporais tradicionais dos povos indígenas.

 

Justificativa

Os índios já habitavam nosso país quando os portugueses aqui chegaram em 1500, portanto ver-se uma necessidade da valorização de sua cultura.

Esta atividade aplicada neste Colégio vem de encontro ao objetivo do Pibid (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência), programa este desenvolvido e coordenado pela UEG (Universidade Estadual de Goiás), no qual tem a participação de seis (06) acadêmicos, uma supervisora e um coordenador.

Com intuito de realizar atividades à valorização da cultura indígena, além de buscar interdisciplinaridade entre as disciplinas: História, Artes e Educação. Física, buscando subsídios que possam construir uma articulação entre os saberes.

Conhecendo o mundo desses Habitantes de uma forma lúdica, os alunos terão uma melhor assimilação da cultura indígena e suas práticas esportivas.

Objetivo

·         Conhecer a cultura indígena

·         Vivenciar a pratica dos jogos tradicionais praticados pelos índios.

·         Aproximar a Universidade da realidade do Colégio;

·         Possibilitar aos acadêmicos melhores vivência da docência.

 

Espaço Pedagógico
Será utilizado à sala de aula e o pátio da escola.


Materiais.

·         Bola de Futebol.

·         Apito

·         Coletes

 

 

Avaliação:

Será verificada através do entendimento do conteúdo pelos alunos e participação dos mesmos nas atividades propostas.




Referências Bibliográficas

Disponível em:
http://www.efdeportes.com/efd159/jogos-tradicionais-indigenas.htm
acessado em 16/04/2013.
Disponível em:
http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_do_indio.htm
acessado em 16/042013.



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 23h44
[] [envie esta mensagem
] []





LEI 12796_DISPÕE SOBRE FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

LEI 12796_DISPÕE SOBRE FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO


“Art. 62. A formação de docentes para atuar na educação básica far-se-á em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, em universidades e institutos superiores de educação, admitida, como formação mínima para o exercício do magistério na educação infantil e nos 5 (cinco) primeiros anos do ensino fundamental, a oferecida em nível médio na modalidade normal.
.............................................................................................. 
§ 4º A União, o Distrito Federal, os Estados e os Municípios adotarão mecanismos facilitadores de acesso e permanência em cursos de formação de docentes em nível superior para atuar na educação básica pública. 
§ 5o A União, o Distrito Federal, os Estados e os Municípios incentivarão a formação de profissionais do magistério para atuar na educação básica pública mediante programa institucional de bolsa de iniciação à docência a estudantes matriculados em cursos de licenciatura, de graduação plena, nas instituições de educação superior. 
§ 6o O Ministério da Educação poderá estabelecer nota mínima em exame nacional aplicado aos concluintes do ensino médio como pré-requisito para o ingresso em cursos de graduação para formação de docentes, ouvido o Conselho Nacional de Educação - CNE. 
§ 7o (VETADO).” (NR) 
“Art. 62-A. A formação dos profissionais a que se refere o inciso III do art. 61 far-se-á por meio de cursos de conteúdo técnico-pedagógico, em nível médio ou superior, incluindo habilitações tecnológicas. 

Parágrafo único. Garantir-se-á formação continuada para os profissionais a que se refere o caput, no local de trabalho ou em instituições de educação básica e superior, incluindo cursos de educação profissional, cursos superiores de graduação plena ou tecnológicos e de pós-graduação.”
 (4 fotos)ROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

 



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 09h39
[] [envie esta mensagem
] []





encontro do PIBID UEG em Pirenópolis

Como já foi avisado previamente a data do nosso I Encontro do PIBID,

será nos dias 6 e 7 de junho. O local escolhido foi a UnU de Pirenópolis.
A razão da escolha está na quantidade de salas e na capacidade de
alojarmos todos em um mesmo hotel. Salientamos que é necessário a presença de todos
para que o encontro atinja seus objetivos. No entanto, para nossa organização do alojamento,
solicitamos uma pré-confirmação. Caso algum dos membros do subprojeto ja tenha alguma
atividade agendada, (como por exemplo: apresentação em congressos, seminários em outras cidades)  para essa data, e de forma nenhuma poderá participar, por favor nos informe, para fecharmos o contrato com o hotel. (Pausada dos Pirineus).

Segue também uma proposta que elaboramos para apresentação dos trabalhos no encontro.


NORMAS DE APRESENTAÇÃO

1)Posters : Relatos dos alunos (Obrigatório para todos envolvidos nos subprojetos) Expor atividades desenvolvidas pelos alunos nas escolas.
2)Relato de experiências:  (todos os envolvidos). (Apresentar o processo de ensino ocorrido nas escolas.
3)Comunicação oral (Coordenadores de áreas. Texto). (Apresentar um texto sobre o subprojeto fundamentado teoricamente, tendo em vista que os melhores textos serão publicados).

Sem mais para o momento.
Att. Prof. . João Roberto.



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 18h30
[] [envie esta mensagem
] []





SEMANA DA ALIMENTAÇÃO PIBID UEG

PIBID UEG TRABALHA SEMANA DA ALIMENTAÇÃO



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 18h49
[] [envie esta mensagem
] []





PiBIDIANOS TRABALHAM QUALIDADE DE VIDA HIGIENE



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 17h47
[] [envie esta mensagem
] []





Dia da Mulher

Grupo do PIBID UEG Educação Física comemora Dia Internacional da mulher, com festividade na Escola.



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 00h02
[] [envie esta mensagem
] []





UEG entrega relatórios do PIBID à CAPES

UEG entrega relatórios do PIBID à CAPES



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 07h52
[] [envie esta mensagem
] []





 


 “A mudança não é trabalho exclusivo de alguns homens, mas dos homens que a escolhem.”(Freire, 1979, p. 52)

 

Caros coordenadores, professores e bolsistas envolvidos com o Parfor, Pibid, Prodocência, Novos Talentos, LIFE, Obeduc e Projetos Especiais.

Este é um ano particularmente desafiador para todos nós, educadores. Entre outubro e novembro acontecerão as provas do SAEB – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica. As provas, de Português e Matemática, serão aplicadas a todos os alunos do 5º e 9º do Ensino Fundamental e aos do 3º ano do Ensino Médio. As pontuações do SAEB compõem o IDEB – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. (Conheça as matrizes curriculares do SAEB veja: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/saeb_matriz2.pdf )

O domínio da língua materna e da Matemática é a base para a compreensão das outras disciplinas, é necessário ao sucesso escolar, à vida profissional e à inserção plena, criativa e crítica na sociedade tecnologicamente avançada em que vivemos. Por isso, as duas disciplinas são avaliadas não só no SAEB, mas no PISA - Programme for International Student Assessment, (Para conhecer mais sobre o PISA, veja: http://portal.inep.gov.br/grupo-ibero-americano-do-pisa ).

As avaliações do PISA acontecem a cada três anos, para jovens de 15 anos, e abrangem três áreas do conhecimento: Leitura, Matemática e Ciências. A cada edição do programa, há uma ênfase maior em cada uma dessas áreas. Em 2009 iniciou-se um novo ciclo e a ênfase recaiu sobre o domínio de Leitura; em 2012 a ênfase foi Matemática e em 2015, será em Ciências. (O INEP estuda incluir Ciências também no SAEB.)

Todos nós conhecemos os indicadores incrivelmente frágeis do IDEB. Mas ainda poucos conhecem experiências exitosas de Minas Gerais e de Sobral, no Ceará, que conseguiram, com determinação política, competência técnica e compromisso educacional, reverter indicadores, ultrapassando inclusive metas previstas para 2022. Várias escolas isoladamente, com a determinação cidadã e força pedagógica de seus diretores e professores, também alcançaram resultados equivalentes.

A ação dos gestores, dos professores e do corpo técnico-administrativo dessas escolas e redes lembra bem o que disse Paulo Freire em seu livro Educação e Mudança: “O fatalismo diante da realidade, característico da percepção distorcida, cede lugar à esperança. Uma esperança que move os homens para a transformação.” (1979, p. 51).

A DEB convida a todos os coordenadores, professores e bolsistas de iniciação envolvidos com seus programas a “um esforço apaixonado e corajoso de transformação da realidade” (Freire, 1979, p. 51). E, mesmo que os alunos não sejam foco do SAEB em 2013, mesmo que a área ou disciplina de atuação docente não seja Matemática ou Língua Portuguesa, vamos investir na sua aprendizagem. Afinal, raciocínio lógico, leitura e produção de textos são necessários a TODAS as disciplinas.

Onde houver Parfor, Pibid, Novos Talentos, Prodocência, Observatório da Educação, LIFE, Projetos Especiais e outros programas comprometidos com qualidade e equidade da educação, vamos olhar a realidade da escola pública e dos currículos de formação de professores. A partir desse olhar, convidamos a que desenhem estratégias pedagógicas concretas e competentes, unam esforços e criatividade e trabalhar com os alunos, tendo a verdadeira preocupação não em relação a um número que vai compor um índice, mas no DIREITO DE APRENDER de cada futuro professor, criança e jovem sob nossa responsabilidade.

A equipe DEB está aberta ao diálogo. Um abraço amigo.

Carmen Moreira de Castro Neves, diretora.



Escrito por Mauro Felício Barbosa Mulati às 22h50
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]